Noticias

Luciano – As drogas e a reabilitação

Luciano – As drogas e a reabilitação

Numa fase em que a morte de Avicci ainda está muito fresca na memória de todos os amantes de música eletronica, surge agora o testemunho de Luciano, que pela primeira vez aborda o abuso de álcool e drogas e considera que é um milagre ainda estar vivo.

Pela primeira vez, Luciano abriu o seu coração sobre o tormento dos vícios de álcool e drogas e conta que no ano passado foi para uma clínica na Tailândia com o intuito de abandonar os vícios que o dominaram ao longo dos últimos 22 anos mas que agora, neste mÊs de Maio, celebra o seu renascimento como pessoa.

Toda a situação que levou Avicii à morte parece ter despoletado um sem número de consciências no seio dos maiores dj´s do mundo e esse foi um dos motivos que levou o Dj/produtor Suiço a revelar a dura batalha que manteve contra as drogas porque segundo ele, estava muito perto de fazer o mesmo que Avicii fez.

“ Eu mantive este assunto em segredo durante quase 22 anos, com muita vergonha e ainda hoje é uma das minhas batalhas mais dificeis, mas eu decidi falar sobre isto voltei como uma fénix renascida das cinzas e toda a experiência da recuperação na Tailândia me ajudou a descobrir quem eu sou e isso trouxe-me muita paz interior. ”

” Sinto uma enorme tristeza com a história do Avicii e eu fiz questão de falar sobre isso porque de alguma forma me identifico com a situação, dado que passar de um grande festa com milhares de pessoas para um quarto de hotel solitário e repetir este processo vezes sem conta sempre longe da familia, mudanças climáticas e fusos horários e o pouco descanso me causava altos níveis de ansiedade e é obvio que tudo isto leva a que tal como muitos outros artistas, encontrei a “cura” nos álcool e nas drogas.

“A vida noturna é como uma montanha onde cada vez queres subir cada vez mais alto.
Eu tive a sorte de sobreviver, depois de hà um ano atrás o meu coração quase ter parado durante uma viagem de avião e aí os médicos me advertiram seriamente que se eu não parasse imediatamente então, a morte seria o meu próximo capítulo.
Foi aí que pensei que estava a dar cabo de uma vida que podia ser perfeita e me senti o pior ser humano do planeta.”

Esta é mais uma chamada de atenção para todos os artistas que de uma forma ou outra vivem o sonho do topo do djing e para aqueles que pretendem lá chegar…

O sucesso de uma carreira, por muito grande que ele seja, nunca irá valer mais do que o bem estar de cada um de nós!

Admin

01 Jun 2018

>

Facebook

YouTube

Instagram

Follow Me on Instagram