Os bons djs residentes

OS BONS DJ'S RESIDENTES

18 de Julho parece-me ser uma excelente data para se comemorar o dia do dj residente. Convenhamos… Os rapazes merecem..

Esta classe nunca teve a vida fácil, mas hoje em dia os profissionais que gerem a importante função de divertir e “segurar” o público sofrem condicionantes nunca antes impostas. É preciso gostar muito de música e é preciso gostar muito de noite para insistir teimosamente numa profissão que vai sendo violada sistematicamente.

Uma parte do problema começa logo na história dos djs convidados. O que não falta no mercado são djs que assumem o papel de convidados sem trazer nada de novo ao espetáculo: um exército de homens e mulheres que nunca produziram nada, que aparecem em cima da hora para dar o seu suposto “show” sem sequer terem a preocupação ou a humildade em saber o que já se passou na cabine antes da sua entrada.

Muitos convidados conseguem demorar mais tempo a montar o seu equipamento do que a destruir uma pista.

Não é só este o único problema. Virou moda pôr cantores “famosos” em clubs, pagos a peso de ouro, que estão a destruir completamente o clubbing. São 15 ou 20 minutos de terror, só. Às vezes sem check-sound, outras vezes utilizando os microfones que a discoteca tem: desvirtuam completamente o conceito de noite e o público deixa de fazer aquilo para o qual os clubs foram feitos… Dançar. Os mini-concertos têm uma mini-plateia de telemóveis ao alto, mumificada.

É neste momento que os bons djs residentes e resistentes pensam: mas que raio vou eu ter de inventar para re-criar uma posta dançante depois deste gajo se calar?

Felizmente ainda existem bons artistas convidados, que têm a preocupação de saber o que a casa “gasta”, de respeitar a posição do dj residente, fazendo o trabalho de casa e que conseguem trazer alguma coisa à noite. Na maior parte dos casos isto está longe de acontecer.

Vamos perdendo semanalmente excelentes djs residentes por causa desta subserviência às views, e vamos perdendo o sentido de noite quando vemos filmagens de casas cheias durante a actuação de convidados, onde estão dezenas ou centenas de pessoas que, claramente nem se mexem, nem se estão a divertir.

>

Facebook

YouTube

Instagram

Follow Me on Instagram

A TOCAR

¤