Entrevista Miss Sheila

OLÁ MISS SHEILA. SÃO JÁ MUITOS OS ANOS DE CARREIRA QUE TE TORNARAM NUM ÍCONE DA DANCE SCENE EM PORTUGAL E EM MUITOS OUTROS CANTOS POR ESSE MUNDO FORA.
QUE BALANÇO FAZES DESTES PRIMEIROS 19 ANOS NO DJING?

Antes de mais, olá a todos e obrigado Club Dj Portugal pelo convite. 19 anos de carreira é um numero bastante significativo, ao longo deste período passei por bastantes fases da eletrónica, vi o seu crescimento quase desde o primórdio cá em Portugal, muitas coisas aconteceram, algumas influenciaram de forma positiva, outras nem por isso… mas como tudo, faz parte do processo.
O balanço só pode ser positivo, resumidamente, temos excelentes artistas nos mais vários géneros, temos grandes festivais a marcar presença e a levar as cores da bandeira a nível internacional.
A nível pessoal, não podia estar mais satisfeita e agradecida, não so por conseguir manter um lugar sólido num mercado tão competitivo, mas acima de tudo, pela quantidade de pessoas que me apoiam e incentivam incondicionalmente, essa é a maior força que podia ter e faz com que estes longos anos sejam fantásticos.
Muitas coisas já foram feitas e muitas mais estarão para acontecer, já no ano em que vou celebrar 20 anos de carreira.

SOMOS MUITO CURIOSOS E QUEREMOS QUE NOS CONTES QUAL O MOMENTO MAIS HILARIANTE QUE TIVESTE ATÉ AO DIA DE HOJE ENQUANTO DJ.

Felizmente ou não, já tive vários!!
No preciso momento podem não ser assim muito hilariantes, mas fazendo uma retrospectiva, já tive colunas de munição a cair-me na cabeça enquanto actuava, cabines a arder (literalmente) também enquanto actuava, animadores a cair na minha frente e desligarem a electricidade de todo o evento, entre muitos outros. (Risos)

A TECNOLOGIA AVANÇA A UM RITMO ALUCINANTE E O DJING NÃO ESCAPA À EVOLUÇÃO.
DADO QUE A TUA CARREIRA AINDA COMEÇOU NA ERA DO VINYL, SE NESTE MOMENTO TIVESSES O PODER DE ESCOLHER, QUE EQUIPAMENTOS PERMITIRIAS PARA O TRABALHO DOS DJS E PORQUÊ?

Sinceramente, escolhia precisamente os mesmos que dispomos atualmente, a grande “discussão” á volta do melhor “setup” para um Dj Set é meramente uma questão de gosto e adaptação ás necessidades de cada artista e caso em singular, agora o que cada um faz com o setup que usa, isso é uma questão totalmente diferente, que poderia ter outra abordagem!

DIZ-NOS QUAL A TUA FAIXA ‘ PREFERIDA ‘ DE SEMPRE, AQUELA QUE TE FAZ LEVITAR…

Obviamente tenho vários temas que marcaram o meu percurso, é mesmo muito difícil e de certa forma injusto escolher apenas um, contudo deixo a referencia de um grande disco que ainda significa bastante para mim, que é o Saeed & Palash-Afterdark, Addictive Records nr1.

ÉS UMA DAS DJS FEMININAS QUE ATRAI MAIS PÚBLICO EM PORTUGAL, SEJA AOS CLUBS OU FESTIVAIS.
SENTES QUE NESTE MOMENTO, DE UM MODO GERAL O PARTY PEOPLE JÁ RESPEITA MAIS O DJING NO FEMININO?

Agradeço bastante a vossa afirmação e significa sempre muito para mim, contudo eu desde o inicio da minha carreira sempre defendi que a musica não tem sexo, e a distinção entre Masculino e Feminino não deveria existir. Contudo se na década de 90 passamos uma fase em que as artistas femininas eram de certa forma descriminadas e viam o seu percurso um pouco mais complexo e difícil, nos dias de hoje vemos um grande boom das Djs no “feminino”, quero acreditar que é fonte do esforço a dobrar, que nós mulheres, tivemos que fazer, de forma a ter metade do respeito num mercado maioritariamente masculino.

‘ nos dias de hoje vemos um grande boom das Djs no “feminino”, quero acreditar que é fonte do esforço a dobrar, que nós mulheres, tivemos que fazer, de forma a ter metade do respeito num mercado maioritariamente masculino ‘

MUITO SE TEM FALADO QUE A DENOMINADA ‘EDM’, POR CANSAÇO, DEU LUGAR AO TECHNO. SENTISTE ESSA MUDANÇA?

Sempre me mantive fiel á minha sonoridade, ja vi fases de bastante adesão, outras mais fracas e neste momento, noto que o movimente está bastante forte, o que me deixa obviamente muito satisfeita.

TEMOS OUVIDO BOA PRODUÇÃO DE MISS SHEILA MAS AINDA ESPERAMOS UM ÁLBUM. SERÁ QUE VAMOS TER NOVIDADES NOS PRÓXIMOS TEMPOS?

Sempre defendi que o trabalho de estúdio tem que ser originário da criatividade do artista, e como não trabalho em estúdio com outros produtores ou engenheiros de som que me ajudem a acelerar o processo, é normal que as edições demorem mais algum tempo. A edição de um álbum esta de facto nos meus planos, mas de momento a prioridade são os meus lançamentos (Singles/Eps) no estrangeiro, a minha editora Digital Waves, e claro… as minha actuações ao vivo.

ALGUMA VEZ PENSASTE EM PRODUZIR ALGO DE UM GÉNERO MUSICAL FORA DA TUA ZONA DE CONFORTO?

Sim, sonoridades mais calmas como chill-out, lounge…

A DIGITAL WAVES FOI UMA APOSTA QUE FIZESTE NO TEU 15º ANIVERSÁRIO DE CARREIRA E SÃO JÁ VÁRIOS OS NOVOS TALENTOS QUE EDITARAM PELA TUA LABEL.
PARA ALÉM DO UNDERGROUND, PODEREMOS CONTAR COM A ABERTURA DA TUA LABEL A OUTOS GÉNEROS?

Um dos principais motivos que me levou a criar a Digital Waves, foi para dar apoio a novos e excelentes talentos que via e vejo com bastante dificuldade em editar seus temas e mostrar o trabalho de estúdio, a todo o mercado e seguidores. Neste momento esse motivo mantém-se e a única prioridade é mesmo o “underground”.

HÁ CADA VEZ MAIS NOVOS DJS E PRODUTORES EM PORTUGAL.
QUAL O MELHOR CONSELHO QUE LHES PODES DAR NO SEU INÍCIO DE CARREIRA?

Sejam persistentes, acreditem no vosso valor, façam tudo pelo amor á musica, e nunca… nunca se deixem influenciar por negativismos e desistam.

PARA FINALIZAR, QUERES DEIXAR UMA MENSAGEM A TODOS OS UTILIZADORES DO CLUB DJ PORTUGAL?

Quero agradecer a todos os utilizadores da Club Dj Portugal pelo incansável apoio, assim como a toda a grande equipa do portal, por todo o apoio e trabalho desenvolvido em prol da dance scene, é muito gratificante para mim, obrigado.

>

Facebook

YouTube

Instagram

Follow Me on Instagram

A TOCAR

¤